Tendinite do Ombro


Anatomia

O ombro é composto por três ossos: o úmero, a escápula e a clavícula. A “cabeça” do úmero se encaixa em um soquete arredondado no omoplata. Esse soquete é chamado glenoide, no qual os ossos são mantidos centrados por uma combinação de músculos e tendões. Esses tecidos, por sua vez, são chamados de manguito rotador e tem o papel de revestir a “cabeça” do úmero, anexando-o ao ombro.

Causa

Atletas e trabalhadores que necessitam fazer movimentos repetitivos, ou pessoas que usam os ombros em posições viciosas com frequência, sofrem de dor causada por desgaste dos tendões, atrito ou pinçamento das estruturas que movem o ombro.

Este desgaste pode provocar o espessamento dos tendões e uma combinação de problemas, como a inflamação da bolsa de deslizamento (bursite), a inflamação do manguito rotador (tendinite) e depósitos de cálcio, causados por rasgos ou traumas. Se não tratados, esses componentes inflamatórios e degenerativos podem diminuir a resistência dos tecidos e facilitar a ruptura dos tendões.

Tratamento

O tratamento inicial deve ser repouso da articulação e, na fase aguda, pode-se usar gelo e anti inflamatórios recomendados por um médico. Posteriormente, fisioterapia e, eventualmente, injeções locais. Porém, se este tratamento não der resultado e, principalmente nos casos mais severos, antes de cirurgias, a terapia por ondas de choque é uma alternativa extremamente recompensadora que pode  beneficiar grande parte dos pacientes, evitando um tratamento mais invasivo.

 

« Voltar