Artroscopia

O que é Artroscopia?
Por que a Artroscopia é necessária?
Como é feita a Artroscopia?
Quais as possíveis complicações?
Quais as vantagens?


O que é Artroscopia?

A palavra Artroscopia vem do grego "Arthro" (articulação - o ponto onde dois ossos se encontram) e "Skopein" (olhar para). O termo significa: olhar dentro da articulação.

Artroscopia é o procedimento cirúrgico em que o cirurgião artroscopista faz uma incisão pequena na pele do paciente para visualizar, diagnosticar e tratar problemas dentro de uma articulação, onde a cicatriz e a permanência em hospital são menores e a recuperação é mais rápida.

No artroscópio (que tem o formato semelhante ao de um lápis), uma micro câmera filmadora, conectada ao artroscópio, exibe a imagem em uma tela de TV. Esta imagem ampliada permite que o cirurgião olhe diretamente para a articulação, determinando a extensão das lesões, para então executar a cirurgia que se faz necessária.


Por que a Artroscopia é necessária?

O diagnóstico de lesões e doenças articulares inicia-se por um histórico completo, exame físico detalhado e, às vezes, radiografias. A artroscopia pode ser utilizada para diagnósticos difíceis porque proporciona uma visão precisa e direta de ossos e tecidos moles. Patologias e traumatismos podem danificar ossos, cartilagens, ligamentos, músculos e tendões.

Com o artroscópio, os médicos cirurgiões podem enxergar mais da articulação do que é possível em cirurgias abertas. Além disso, áreas que muitas vezes são difíceis de ver em um raio-x, podem ser vistas durante a artroscopia. Somente seis articulações são, usualmente, examinadas por este procedimento. O joelho é, sem dúvida, a articulação mais examinada. As outras são ombro, cotovelo, tornozelo, quadril, punho e túnel do carpo.


Como é feita a Artroscopia?

A artroscopia requer o uso de uma sala cirúrgica hospitalar ou ambulatorial, com o uso de um anestésico geral, peridural ou local. Uma solução estéril é injetada na articulação para ampliar e abrir espaço para a inserção do artroscópio, feita através de uma incisão na pele (aproximadamente do tamanho de uma casa de botão). Se uma área grande deve ser vista, ele fará várias dessas pequenas incisões.

Durante o procedimento, o cirurgião visualiza o interior da articulação em uma tela de TV.

Ao término da cirurgia, as pequenas incisões são fechadas e cobertas por ataduras. O paciente é encaminhado à sala de recuperação, onde receberá medicamentos para minimizar a dor e permanecerá ali, até que o efeito da anestesia tenha terminado. Antes de receber alta, o paciente aprenderá como deve cuidar das incisões, quais atividades estão permitidas e quais os exercícios que deverá fazer para auxiliar na sua recuperação. Se, na volta para casa, o paciente apresentar febre, dor excessiva ou drenagem de algum líquido na área operada, ele deverá contatar o médico imediatamente.

Após sete dias, o paciente deve voltar ao consultório para que o cirurgião inspecione as incisões, remova possíveis suturas e aplique o programa de reabilitação. A recuperação sempre vai variar de paciente para paciente.

Nenhuma Artroscopia é igual a outra. As condições podem requerer uma cirurgia aberta mais extensa, que pode ser executada enquanto o paciente ainda está anestesiado, ou em uma outra ocasião, a ser discutida por médico e paciente.


Quais as possíveis complicações?

Infecção, flebites (inflamação de veias), hematomas e lesões de vasos e nervos, inchaço excessivo ou sangramento são as adversidades mais comuns. Raramente, instrumentos pequenos podem quebrar durante o procedimento.

Além da artroscopia, podem surgir problemas com a anestesia, durante a sua administração e depois do procedimento.

É importante conversar com o seu médico antes de submeter-se a Artroscopia. Cada cirurgia é um procedimento único, sem similar.


Quais as vantagens?

A cirurgia artroscópica é uma experiência mais tranqüila para o paciente do que uma cirurgia aberta.

As pequenas incisões cirúrgicas advindas da artroscopia são fechadas com um ou dois pontos ou mesmo sem pontos, apenas com fita adesiva. Pequenas cicatrizes e a dor no pós-operatório imediato também são menores do que na cirurgia convencional, com um tempo de recuperação e reabilitação menor.